Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Projeto Politico Pedagógico -UMEI -Floresta




PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO










UNIDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INAFNTIL - FLORESTA












Santarém – Pará
2012




APRESENTAÇÃO

Planejamento é o processo de busca de equilíbrio entre e meios e fins, entre recursos e objetivos visando ao melhor funcionamento de escolas, instituições, setores de trabalhos, organizações grupais e outras atividades humanas. (PADILHA, 2001, p.30).



O atual documento articula a autonomia político pedagógico administrativo da gestão democrática da instituição. Ele representa mais do que um documento, é um meio de viabilizar a escola democrática para todos nas esferas sociais, históricas afins e similares

IDENTIFICAÇÃO

Unidade Municipal de Educação Infantil – Floresta
Endereço: Rua Marupá, S/N, Bairro Floresta
Mantenedora: Prefeitura Municipal de Santarém
Pré- escola e creche
EQUIPE TÉCNICA
Nome do funcionario
Escolaridade
Cargo
Rosenira Pereira Batista
Cursando Esp. Gestão Escolar
Coordenação

Ana Pâmela Guimarães
Pedagogia Completo
Aux.Administrativa

Antonio Leudivan C. Souza
Quimica
Professor

Dione Gonçalves da Silva
Pedagogia Completo
Professora

Elci Sousa de Jesus
Cursando Pedagogia.
Professora

Juliany Goudinho Xavier
Cursando Pedagogia
Professora

Katia Maria Jobelina Pereira
Cursando Esp. Gestão Escolar
Professora

Lediza Francisca Santos
Fundamental
Educ.Alimentar

Lindalva Medeiros
Fundamental
Educ.Alimentar

Maria Ivanir C.Marialva
Magisterio
Professora

Maria Valclea Nunes Ribeiro
Fundamental
Educ.Alimentar

Maria Solange Sousa
Cursando Esp. Gestão Escolar
Professora

Maria Valdenice V.Gomes
Cursando  História e Geografia
Professora

Raimunda Lúcia Ponte
Magisterio
Professora

Raimundo Dilson M. Junior
Ensino Médio
Vigia

Robiana do Amaral Araújo
Letras
Professora

Sebastião Oliveira da Silva
Ensino Medio
Vigia

Simone Santos da Silva
Cursando Pedagogia
Professora

Violane S.da F.Andrade
Pedagogia completo
Educ.Alimentar



Conselho Escolar: Coordenadora
Vice Coordenadora:
Secretaria:
Suplente:
Tesoureira
Suplente
Presidente:
Conselho Fiscal: Titular:
Suplente

JUSTIFICATIVA


Este Projeto Político Pedagógico é resultado de uma experiência coletiva, na qual construímos caminhos para colocar em pratica nossos paradigmas educacionais. Esse PPP baseia em uma política educacional preconizada na constituição de pensadores influentes tais como: Piaget e Vygotsky.
A comunidade escolar ao elaborar este documento busca a função principal da identidade que é educar, cuidar e brincar. Desta forma se solidifica o papel social que possibilita as crianças o sucesso educacional preservando o seu bem estar físico e estimulando seus aspectos cognitivos, emocional e social
Este documento tem como finalidade explicitar a proposta pedagógica da Unidade de Educação Infantil – Floresta e expressar a identidade desta escola, onde estão presentes seus objetivos e desejo de mudança, para uma vida digna com equidade social.
Constitui-se de um referencial teórico de apoio que revela a função social da escola a partir de sua linha filosófica e pedagógica e de uma análise da realidade escolar com estabelecimento de prioridades, definidas pelo corpo docente e administrativo, que orientará as mudanças que concluímos necessárias.
Este Projeto Político Pedagógico é considerado, basicamente, um referencial orientador e limitado no tempo e na abrangência de sua significação. Entra em vigor a partir do ano de 2012, cuja prática e avaliações conseqüentes dirão da validade e transitoriedade da proposta.
A proposta pedagógica da UMEI/FLORESTA foi elaborada a partir de encontros para discussões e debates que envolveram o corpo docente, coordenação pedagógica, conforme previsto na Legislação Nacional: Lei de Diretrizes e Bases – LDB número 9394/96.
Pretendemos fundamentar de maneira clara e objetiva a metodologia a qual a Unidade Municipal de educação infantil – Floresta segue.
A UMEI - Floresta tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança em seus aspectos: físicos, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e do meio  onde convive. Todos estes objetivos visam melhorar a qualidade de ensino e permitem o exercício ativo da cidadania. O Projeto Político pedagógico está embasado na busca e na construção de uma educação plena, com o envolvimento de educadores e funcionários em  geral, pois sabemos que temos em nossas mãos cidadãos em formação e transformação, cabendo a nós garantir a qualidade dos serviços educacionais oferecidos às crianças.

OBJETIVOS DA UNIDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL – FLORESTA

·         Motivar os pais a participarem efetivamente das atividades escolares dos filhos e acompanhar seus desenvolvimentos com compromisso e responsabilidade;
·         Realizar reuniões bimestrais com responsáveis, visando fortalecer a participação na vida escolar da criança ;
·         Manter um livro de justificativas das faltas dos alunos com assinatura dos responsáveis para garantir o seu compromisso com a escola;
·         Oportunizar as crianças do bairro da Floresta e bairros adjacentes, uma formação de qualidade com compromisso na educação;
·         Desenvolver coletivamente e de forma democrática os projetos a serem executadas no decorrer do ano letivo;
·         Estimular e valorizar o desenvolvimento da criança respeitando seu nível de maturação, priorizando os aspectos lúdicos.





HISTÓRICO DA UNIDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL – FLORESTA

UNIDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL  DO BAIRRO DA FLORESTA



A Creche[1] do Bairro da Floresta foi implantada em 1993, sob a administração do prefeito Rui Correa e Secretaria Municipal Lívia Correa.
A idéia de reivindicações partiu de manifestações da própria comunidade junto à prefeitura. Inicialmente a creche funcionou no barracão comunitário durante cerca de 2 anos atendendo aproximadamente 50 crianças, em meio expediente, no horário de 07 hs as 12 hs.Tendo como a primeira  coordenadora Silvia e a supervisora Zilda Rocha.
Nos primeiros anos de atendimento, os serviços de limpeza e cozinha ficavam por conta de voluntários do bairro. Somente em 1995 foi contratada a primeira servente, a senhora Dorotéia Ferreira Guimarães.
Por falta de estrutura física o barracão onde funcionava a creche, durante o ano de 1996, as atividades foram interrompidas. Somente em 1997, sob a administração do prefeito Joaquim de Lira Maia e Lucia Maia, foi alugado um prédio situado na rua Maravilha, nº 500. A partir do referido ano o número de crianças atendidas passou a ser 75, em tempo integral.E assumindo nesse período  a coordenação, Izaneide Gennigs e a supervisão continuou com a senhora Zilda Rocha.
Os primeiros vigias foram contratados em 1997, os senhores Edson da Silva e Artidor Facundes.
No ano de 1998, a creche continuou funcionando no prédio alugado, e com o número de 102 crianças atendidas. A então coordenadora Izaneide foi substituída pela senhora Ivanete Pinto Lira,logo em seguida  ocorrendo mais uma substituição de coordenação e  assumindo Salete de Oliveira Patrício, em seqüência com Zilda Rocha na gestão e a partir de 12 de agosto de 2003 coordenação com Francisca do Vale
O número de crianças inscritas em 2003 foram 140, funcionando com 4 turmas distribuídas por fases.
Ø  1ª fase – 2 a 3 anos
Ø  2ª fase – 4 anos
Ø  3ª fase – 5 anos
Ø  4ª fase – 6 anos
O quadro de funcionário estava distribuído da seguinte forma:
Ø  10 monitoras;
Ø  03 serventes;
Ø  02 vigias;
Ø  01 coordenadora;
Ø  01 supervisora

Além das atividades normais, faziam parte do atendimento da creche um projeto envolvendo música, cujo nome foi “Na creche se canta se dança e se aprende”, criado pelos próprios funcionários em 2003.
Em 2003 ainda sob administração do Prefeito Joaquim de Lira Maia e da Secretaria Municipal Lúcia Maia, foi iniciada a construção de um novo prédio com uma nova estrutura que passou contar com 4 salas de atividades, para o funcionamento da creche, oferecendo melhores condições para o atendimento das crianças. Sendo que em Janeiro de 2004, o atendimento na creche ficou restrito as atividades do projeto e informações aos pais e comunidade.
Em 21 de junho de 2004, data da inauguração do novo prédio foi reiniciada as atividades normais. A meta de atendimento era de estimativa de 130 crianças e o número de inscritos passou, porém a ser de 140 crianças. Na coordenação assumindo a senhora Cláudia Andrade em seguida a senhora Eliane Andréia de Sousa, logo após foi Rosana Bechara a que algum tempo depois foi transferida e assumindo a função a  senhora Leuciane Vasconcelos.
Em 2009  houve a transição da Secretaria de Assistência Social – SEMTRANS para Secretaria Municipal de Educação – SEMED. A creche passa a ser Unidade Municipal de Educação Infantil – Floresta. A então coordenadora senhora Leuciane foi transferida para outra UMEI ,e  assumindo então  a coordenação da Unidade a senhora Vanessa Barroso Quaresma. Em julho de 2009, a coordenadora então Vanessa foi substituída pela senhora Lucenilda Correa, por motivo de doença afastou-se das atividades da Unidade em 25 de outubro de 2009, e no dia 26 de outubro de 2009 assumiu a coordenação a senhora Rosenira Batista ,nesta função até a data presente.

Atualmente a UMEI – FLORESTA atende 89 crianças distribuídas em:
·         Maternal II A e II B – 3 anos
·         Pré I – 4 anos
·         Pré II A  e Pré II B – 5 anos

A Unidade Municipal de Educação Infantil – Floresta distribuída em:

Ø  05 salas de aula;
Ø  01 secretaria;
Ø  02 banheiros de funcionários;
Ø  02 banheiros de crianças;
Ø  01 cozinha;
Ø  01 refeitório;
Ø  01 sala de vídeo.

O quadro funcional  estar distribuído da seguinte forma:

Ø  10 professores
Ø        estagiarias
Ø  02 vigias
Ø  04 serventes
Ø  01 coordenadora
Ø  01 auxiliar administrativo.

Hoje o acompanhamento pedagógico é feito pela coordenadora e também pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação -SEMED.

MISSÃO


Nossa missão é oferecer um ensino com qualidade, por meio de profissionais qualificados para garantir a satisfação e o atendimento aos requisitos de nossa clientela, direcionando nossos esforços para a formação de sujeitos, que conheçam seus direitos e cumpram seus deveres, que consigam ter uma idéia do mundo.
Desenvolver esforços em prol da educação e da cidadania, da criança em condições de baixa e média renda social, através de atendimento de qualidade, criar condições de operacionalização dos dispositivos Estatutário da criança e do adolescente, dentro de nossa área de competência. Os profissionais buscam a formação exigida e possuem hoje, na sua maioria, formação na área educacional, ou especificamente na Educação Infantil. Proporcionando aos alunos, um ambiente apropriado de educação e recreação e assim permitindo ter  atenção e cuidados.

A CONTEMPLAÇÃO DA SIGNIFICAÇÃO DE CRIANÇA

A infância entendida como período da vida do ser humano, que vai do nascimento, a puberdade, é uma situação historicamente desenvolvida e analisada. Sendo que nos dias atuais, a infância deve permitir um sujeito de direitos de necessidades físicos, cognitivos psicológicos, emocionais e sociais.
Segundo os Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil - volume I, desde que nasce a criança possui um papel social embasado na dialética história x cultura da sociedade onde se encontra inserida: “A criança, não é uma abstração, mas um ser produtor e produtivo da história e da cultura”
Dentro desta visão de infância, A UMEI – FLORESTA pretende proporcionar as crianças não somente cuidados necessários ao desenvolvimento biológico, mas oportunizar um espaço, um atendimento e um processo de aprendizagem que auxilia as crianças para as próximas etapas da vida.

A ARTICULAÇÃO ENTRE AS AÇÕES DO ATO DE EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR
           

Para que o processo de ensino-aprendizagem ocorra deve haver um comprometimento dos membros envolvidos.Para isso é necessário respeitar o outro pois, cada ser possui suas singularidades.
O ato de educar deve estar associado ao cuidar para que a busca do conhecimento ocorra de maneira progressiva e qualitativa.
A indissociabiliadade entre a educação e cuidado precisa permear todo projeto político pedagógico de uma creche ou pré escola, pois as experiências adquiridas no decorrer do processo oportunizam o acesso ao conhecimento que na maioria das vezes subsidia o futuro de uma pessoa.
Na educação infantil as crianças encontram-se em uma fase da vida que dependem intensamente do adulto para conduzi-las o que explica o fato das crianças serem auxiliadas nas atividades que não conseguem realizar sozinhas, dentro das suas necessidades básicas, físicas e psicológicas.Também é preciso estimular as crianças a sua espontaneidade através do brincar, do movimentar-se nos diversos espaços, de  expressar seus sentimentos e pensamentos, no falar, no cantar e dramatizar sempre respeitando o conhecimento empírico da infância.
Neste sentido, percebe-se que para contribuir na formação de uma criança nos aspectos individuais e sociais é necessário estimular e facilitar, com objetivos claros e precisos, que possam direcionar para construção de seres humanos capazes de viver na sociedade de forma autônoma, solidaria e cidadã.


CARACTERÍSTICA E EXPECTATIVA DA POPULAÇÃO A SER ATENDIDA.

O alunado da Unidade Municipal de Educação Infantil - Floresta é de classe baixa e média predominando famílias onde pais, mães ou responsáveis trabalham fora, empregados no comércio, residências, construção civil e Prefeitura Municipal.
Na região onde A UMEI está situada predominam  residências de pequeno e médio porte e comércio.
A expectativa da população é ter uma UMEI que venha a contribuir na formação da criança, desenvolvendo situações propícias nas quais ela é estimulada pelos educadores a examinar, explorar, construir significações, possibilitando um ensino de qualidade. E conta-se com a participação dos pais e comunidade em atividades desenvolvidas na Unidade.

REGIME DE FUNCIONAMENTO.

O Calendário Escolar é elaborado, anualmente, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação. O calendário escolar fixa, início e término do ano letivo, período de matrículas, datas de reuniões de professores, comemorações escolares. Sendo incluído um período de férias de trinta dias consecutivos no mês de julho e um recesso de quinze dias no mês de janeiro.
O regime de funcionamento é integral para as turmas Maternal II A e B, Pré I A, Pré II A e B.
O cotidiano escolar é um elemento importante da Educação Infantil, por proporcionar a criança sentimentos de estabilidade e segurança. Assim como possibilita  à criança maior facilidade de organização espaço-temporal, e a liberta do sentimento de estresse que uma rotina desestruturada pode causar.
O cotidiano escolar deve ser rico, alegre e prazeroso, garantindo a ampliação das experiências infantis.
As novidades podem ser planejadas, apoiando-se na estrutura orientadora da rotina, a qual age num clima de maior segurança, estabilidade e consistência. A  UMEI propõe hora atividade para as turma deste estabelecimento de ensino.
Os trabalhos desenvolvidos pelos professores estarão dentro dos conteúdos de linguagem e artes de acordo com os projetos que as turmas estão desenvolvendo entre outros trabalhos.

ROTINA

07:00h às 07:30h - Entrada das crianças
                                Organizações de mochilas, calçados, roupas,...
07:30h às 08:00h - Acolhimento (orações, diálogo, música)
                                 Ida ao banheiro
08:00h às 08:30h - Desjejum
08:30h às 10:00h - atividades Pedagógicas
10:00h às 10:30h - Banho.
10:30h  às 11:00h – Orientações
11:00h às 11:30h - Almoço
11:30h às12 :00h – Escovação (quando houver água)
12:00h às 14:00h - Repouso
14:00h às 14:15h - Despertar das crianças
14:15h às 14:30h –Lanche leve
14:45h às :15:30h - Atividade Pedagógica
15:30h às 16:15h - Banho
16:15h ás 16:45h - Jantar
16:45h ás 17:00h - Escovação
17:00h às 17:30h – Saída das crianças
17:30h às 18:00h -  Organização e limpeza das salas

DESCRIÇÃO DOS ESPAÇOS FÍSICOS, DAS INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS.


As crianças da UMEI – Floresta fazem 4 refeições(desjejuem, almoço, lanche leve e jantar) no refeitório da unidade. As refeições são preparadas pelas educadoras alimentares, o cardápio é sugerido pela nutricionista da Secretária Municipal de Educação.
No espaço do refeitório, além das refeições, são socializados  projetos, reuniões pedagógicas com professores e reuniões com pais e comunidade escolar.
A decoração das salas fica a critério de cada educador, em trabalho conjunto com toda equipe da UMEI.
A Unidade Municipal de Educação Infantil – Floresta, possui um espaço físico amplo contendo:
  • 05 salas de aula
    • Maternal II A
    • Maternal II B
    • Pré I
    • Pré II A
    • Pré II B
  • Cozinha
  • Despensa
  • Secretaria
  •  Refeitório
  • Área aberta
  • Sala de vídeo

FORMAS DE ORGANIZAÇÃO

Maternal II A: 15 alunos
Idade 3 anos
Professores: Kátia Maria Jobelina Pereira (Cursando Esp.Gestão Escolar)
Maria Valdenice Valentim Gomes (Cursando História e Geografia)
Maternal II B: 16 alunos
Idade 3 anos
Professores: Robiana do Amaral Araújo ( Licenciatura Plena em Letras)
Simone Santos da Silva ( Cursando Pedagogia)
Pré I: 25 alunos
Idade 4 anos
Professores: Dione Gonçalves da Silva ( Licenciatura Plena em Pedagogia)
Juliany Goudinho Xavier ( Cursando Pedagogia)
Pré II A: 17 alunos
Idade 5 anos
Professores: Elci Sousa de Jesus ( Cursando Pedagogia)
Maria Solange Sousa da Silveira ( Cursando Esp.Gestão Escolar)
Pre II B: 16 alunos
Idade 5 anos
Professores: Raimunda  Lúcia Ponte Ferreira ( Magistério)


A GESTÃO ESCOLAR EXPRESSA ATRAVÉS DE PRINCÍPIOS DEMOCRÁTICOS E DE FORMA COLEGIADA

Gestão é todo processo que rege tomada de decisões, planejamento, execução, acompanhamento e avaliação das questões administrativas e pedagógicas. A gestão democrática é feita com a participação efetiva de todos, na instituição de educação infantil é de responsabilidade de profissionais que exercem cargos de direção, administração e coordenação pedagógica. Os gestores atuam  em estreita consonância com profissionais sob sua responsabilidade, famílias e representantes da comunidade local, exercendo papel fundamental no sentido de garantir que as instituições de educação infantil realizem um trabalho de qualidade com as crianças que a frequentam. Todos os envolvidos numa gestão democrática preocupam-se em cultivar um clima de cordialidade, cooperação e profissionalismo entre os membros da  UMEI, das famílias e a comunidade, através de reuniões para discutir todos os assuntos, descobrir os problemas e juntos soluciona-los. O objetivo desta forma de organização é a construção de uma prática que leve a autonomia, com a participação de todos.

A ARTICULAÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL COM O ENSINO FUNDAMENTAL, GARANTINDO A ESPECIFICIDADE DO ATENDIMENTO DAS CRIANÇAS DE 03 A 5 ANOS DE IDADE.


Em relação à articulação entre a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental verificamos uma acentuada dicotomia. Pois a educação infantil, historicamente basea-se em  um eixo de  peculiaridade, que envolve o jogar, o imaginar,e  o brincar,desenvolvendo assim, inúmeras linguagens, e de outro choca-se frontalmente com a primeira série do ensino fundamental que se encontra sob a lógica da escolarização com a função de instruir a criança, essencialmente, nas primeiras letras. Assim, a criança vista como criança na educação infantil passa ser o aluno aprendiz por natureza no ensino fundamental.
A falta de articulação entre as classes de educação infantil e o primeiro ano do ensino fundamental pode comprometer a futura aprendizagem das crianças, especialmente por que elas sofrem uma ruptura no entendimento do que seja escola. As tentativas de articulação entre os dois níveis de ensino apontam para uma abordagem central de padronizar o desempenho das crianças ao seu sucesso escolar. Para que aconteça essa inserção nessa escolaridade, torna-se prioritário a existência de um projeto educacional, que possibilite a criança o acesso ao conhecimento cognitivo, por meio da estimulação constante na área visual, e sensório motora a fim de que lhes sejam úteis no seu desenvolvimento acadêmico futuro. É importante dizer que nesta fase de articulação, trabalhar com o lúdico nas práticas educacionais é essencial, pois  as crianças precisam aprender brincando,  assim ela estarão criando os alicerces de sua personalidade. As atividades lúdicas tornam-se fundamentais, pois contribuem para uma vida afetiva e intelectual.


AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM  DA CRIANÇA.


Baseia-se na concepção que norteia a relação educador- criança , conhecimento e vida em movimento, refletindo um ato de reconstrução da prática pedagógica avaliativa e na sua função diagnostica, possibilitando o aprendiz o  caráter de recriar e experimentar o que aprendeu.
E nesse contexto, que se atenta para uma avaliação global, que vai alem dos aspectos quantitativos e qualitativos, identificando o desenvolvimento da criança que é social e intelectual. Na educação infantil é realizada mediante o acompanhamento e desenvolvimento da criança, sem objetivo promocional.
Conforme      Luckesi ( 2002,p.28) apresenta, que avaliação não se da num vazio conceitual, mas é dimensionado por um modelo teórico de mundo e educação, traduzindo em prática pedagógica.
A avaliação tem por função contribuir para o auto desenvolvimento do aluno elevando sua auto estima, gerando autoconfiança e autonomia intelectual,instigando desejo de aprendizagem cada vez mais .Sendo assim, o processo de avaliação é uma emancipação e cabe ao professor um acompanhamento permanente em relação ao processo de construção de conhecimento  pelos  alunos, desafiando-a busca de novas aprendizagens.


AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL.


A avaliação tem como finalidade conhecer as dificuldades enfrentadas tanto no âmbito físico quanto no humano. Sendo que no aspecto avaliativo institucional a proposta sugere a integração de diagnostico do envolvimento das pessoas que fazem parte da comunidade escolar de seus afins e similares. Desta forma precisam ser considerados alguns princípios norteadores, com a observância, a promoção das crianças em suas aprendizagens, a valorização das experiências culturais, o desenvolvimento da autonomia, a inclusão ,o dialogo e a preservação da auto estima, e o comprometimento da escola e do professor com o social, formalizando assim com uma perspectiva formativa  e assim valorizando e situando no contexto das relações sociais e buscando interações coletivas.


            INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A educação especial articula-se com a educação infantil no seu objetivo de garantir oportunidades sócio-educacionais à criança, promovendo o seu desenvolvimento e aprendizagem, ampliando dessa forma, suas experiências, conhecimento e participação social.
A Unidade  garante o direito da família a ter acesso a matricula , a  informação, ao apoio e à orientação sobre seu filho, participando do processo de desenvolvimento e aprendizagem e da tomada de decisões quanto aos programas e planejamentos educacionais.Quanto ao atendimento de crianças Portadores de Necessidades Especiais e Educacionais- PNE,.a instituição se propõe a recebê-las, porém ,necessita de capacitação especifica e apoio de especialistas na área
A acessibilidade não deve ser garantida, somente as crianças com PNE -Portadores de Necessidades Especiais Educacionais , mas a todos os alunos.
Segundo Vygotsky “crianças em diferentes momentos de desenvolvimento e interação, produzem e provoca o aprendizado entre si, todos têm suas particularidades e, percebendo as nossas diferenças e a dos outros passamos a ter um olhar mais generoso.


INTERAÇÃO ENTRE A FAMÍLIA E A INSTITUIÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL


A Educação infantil tem um papel muito importante na sociedade, pois estamos contribuindo para a formação da criança, cidadão participante do contexto social. Não podemos esquecer, porém que a família tem papel fundamental na vida da criança e é responsável pelos primeiros passos no processo de educar.
A Proposta Pedagógica desta instituição propõe  uma prática de educação e cuidado na perspectiva da integração dos aspectos físicos, emocionais, afetivos, cognitivo/linguístico e sociais da criança , entendendo que é um ser em formação. Promove também a interação entre as diversas áreas de conhecimento e os aspectos da vida cidadã, construindo valores e conhecimentos. Todo esse trabalho visa complementar à ação da família buscando a  interação entre as duas instâncias sendo  essencial para um trabalho de qualidade.
Antes de a criança ingressar na Unidade é previsto um tempo para. os familiares e responsáveis conhecerem  as dependências da instituição , possibilitando retirar dúvidas através do diálogo franco e aberto e na escuta dos desejos de ambos . Após a matrícula o período de adaptação deverá ser acompanhado pelos pais, promovendo um ambiente acolhedor e seguro . Assim no decorrer da vida da criança na instituição os professores e equipe da UMEI, estarão sempre dispostos a ouvir solicitações, sugestões e reclamações. Os pais poderão ter acesso a Unidade, que será um local de integração, respeitando as diferenças, construindo um ambiente de harmonia entre a instituição, pais e sociedade.


CONSIDERAÇÕES FINAIS


A proposta pedagógica é projeto que vem aprimorar a qualidade da Educação Infantil, tanto pelo seu resultado quanto pelo seu processo de construção. A instituição tem a possibilidade de elaborar  um documento que se constitui em fundamentação das práticas reais adotadas no cotidiano da Unidade.
Sendo que a proposta é um instrumento do trabalho que indica rumo, direção e é construído com a participação de todos os profissionais da instituição, famílias e representantes da comunidade local.
Sua função é garantir o bem estar e o desenvolvimento integral da criança em seus aspectos físico, psicológico e intelectual.
Tendo um compromisso  interdisciplinar por partes dos profissionais envolvidos, e deverá estar em constante reflexão e em permanente reconstrução.
Esta proposta pedagógica nos possibilita a reflexão sobre as mudanças de concepções, a assumir papeis dentro dos novos princípios da educação, a ter postura ética cidadã. Estamos certos de que este caminho será significativo para a formação de uma nova mentalidade da gestão e ação desta instituição de educação infantil.


REFERÊNCIAS


LDB – 9394/96 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de dezembro de 1996.
Orientações para Elaboração e Execução de Proposta Pedagógica na Educação Infantil. Departamento de Ensino Fundamental – Coordenação Pedagógica da Educação Infantil. Curitiba, 2006
PADILHA,R.P. Planejamento dialógico: como construir o projeto político pedagógico da escola.São Paulo:Cortez : Instituto Paulo Freire, 2011
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil
Volume 1 MEC,Brasil, Brasília 2006
PERRENOUD,Philippe.Praticas pedagógicas ,profissão docente e formação: perspectiva sociológicas.Lisboa:Dom Chuiscote:Instituto de Inovação Educacional .1993.
PRESTES, Irene Carmem Piconi. Psicologia da Educação. IESDE: Curitiba:, 2004.
RADESPIEl, Maria . Alfabetização sem segredos.. Cirandinha – Psicologia Infantil. 1ª edição. 2º semestre, 2003.
Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998 – Volumes 1, 2 e 3.
Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: estratégias e orientações para a educação de crianças com necessidades educacionais especiais. Ministério da Educação – Brasília. MEC, 2000.
RODRIGUES, Almir Sandro. Teorias da Aprendizagem. – IESDE: Curitiba. 2005.VITÓRIA, Maria Inês Corte. Revista do Professor. Porto Alegre, pág.40 e 41, jan/março de 2002



[1] Nome antes denominada as atuais Unidades 

Um comentário:

  1. Rosenira, parabéns pela iniciativa de publicar o Projeto Político Pedagógico da Escola, pois assim toda a comunidade tem a possibilidade de conhecer os trabalhos desenvolvidos pela instituição.

    ResponderExcluir